Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Sport Fetiche

por FS, em 25.09.15

3832373_orig.jpg

 

Há coisas que de tão pirosas serem se transcendem e se tornam alvo de culto. São tão pirosas que passam a ser cool.

 

Hoje à tarde, novato no meu ambiente de ginásio, vou satisfazer um velho fetiche meu: correr ao som de "Eye of the Tiger"!!!! Vou dar uma de Rocky Balboa, e galgar aquela passadeira como se não houvesse amanhã!

 

O Spotify já está pronto! Aqui vou eu...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Fashion Police

por FS, em 24.09.15

title_fashion_v2.jpg

 

Sempre pensei que a maioria das pessoas escolhe a roupa que usa por razões muito pessoais, que podem ir do simples marcar uma posição (como foi o início do Punk), para se identificarem com uma determinada tribo urbana (góticos, betos, etc), para não terem de pensar e apenas se sentirem confortáveis (sendo o exemplo extremo as personagens que vestem fato de treino ao fim-de-semana), ou para se sentirem de certa forma atraentes e com estatuto perante os pares e/ou potenciais parceiros sexuais (e peço desculpa pelo discurso pseudo-técnico, mas foi a melhor forma que encontrei de o descrever).

 

Ora, é com algumas pessoas desta última categoria ("para se sentirem de certa forma atraentes e com estatuto perante os pares e/ou potenciais parceiros sexuais") que o meu pequeno cérebro neanderthal bloqueia e entra em loop.

E esta minha paragem não acontece por haver pessoas que se vestem com esse propósito (consciente ou inconsciente), até porque acho que a esmagadora maioria o faz (inclusivamente os "desalinhados" das tendências da moda tentam parecer mais atraentes segundo os padrões da sua "tribo"), mas porque na maior parte das vezes essas pessoas dão importância à opinião de uma miríade de críticos experts desta área (leia-se, da moda) que não se enquadram no "público alvo": nem são pares, nem são eventuais parceiros amorosos!

 

Confusos? Acredito... Vou retirar os "pézinhos de lã" à minha escrita, correr o risco de ser vaiado e apupado por ser mal interpretado (mas cá estarei para esclarecer as dúvidas), e vou concretizar a minha ideia:

Expliquem-me, pela alminha da Santa, porque é que há mulheres que ligam tanto à opinião dos críticos de moda homens homossexuais?

 

Porque é que, por exemplo, o Cláudio Ramos há-de ter uma opinião de relevo em relação ao que as mulheres devem ou não vestir??? O senhor não encaixa em nenhuma das categorias: não é um par, porque é homem; não é um potencial parceiro amoroso, porque é gay! Então porquê dar tanta importância ao que esta criatura opina acerca disso? Ele não vai poder dizer com conhecimento e validade empírica "eu vestia aquilo, mas noutra cor para salientar a cor da minha pele", nem por outro lado vai poder dizer "acho que uma mulher vestida dessa forma fica super atraente, sem ficar vulgar"! Então, de que vale a opinião dele, Jasus?...

 

Não me faz sentido, desculpem... Mas a verdade é que proliferam nos media, como cogumelos...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sou ingénuo

por FS, em 22.09.15

Beijo.png

 

Padeço deste mal. Não de uma forma inocente mas de uma forma, eventualmente, maligna.

 

Acredito que algumas coisas devem ser imutáveis, possivelmente não na forma, mas pelo menos na essência. E o amor é uma delas.

 

Tenho uma certa relutância em aceitar que o desejo mútuo num casal se apague, por mais mudanças que ocorram na sua vida (inclusivamente com a chegada dos filhos). Alguma vez deixaram de fazer amor por estarem estafados depois de uma noitada a dançar e a beber copos? Então porque é que as rotinas do dia-a-dia hão de retirar essa vontade?! É só cansaço na mesma. Não tem o mesmo elã nem o mesmo cachê, eu sei, mas a pessoa é a mesma...

 

Não aproveitavam em tempos cada pedaço de tempo para namorar? Então porque é que agora não aproveitam esses momentos na mesma?

Não andaram a fugir de tudo e de todos para poderem só apreciar o momento de estarem um com o outro? Então porque o deixaram de fazer?

 

As dificuldades na vida sempre existiram... E existem para serem ultrapassadas, não para nos fazer parar. E são bastante mais fáceis de ultrapassar com partilha, entrega, desejo e um sorriso a dois! Do género "tentaram-nos tramar, mas vamos dar a volta por cima, juntos, a fazer amor todas as noites e a rir um com o outro"...

 

E com todos os pares que falo recebo a mesma resposta: é a vida, bem-vindo ao clube, acontece a todos!

Mas devia? E será e terá mesmo de ser assim?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Let's get physical!

por FS, em 18.09.15

image.jpg

Calma, mentes mais perversas... O título do post não se refere à letra da música de Olivia Newton John, mas apenas ao look fitness do teledisco... Ainda assim sem maillots à Borat, com mais roupa e menos fitas no cabelo, mas foi o que me ocorreu!

Vinte e quatro anos depois de ter entrado num ginásio pela última vez, e com os mesmos anos de tabaco alojado nos pulmões, regresso ao exercício físico. Medo! Muito medo!!!

Nunca foi rapaz de muito desporto. Nem de muito, nem de pouco... Na escola, ficava sempre para última escolha nas equipas de futebol que se formavam no intervalo das aulas. E qual era a minha posição na equipa (na equipa que não se conseguia livrar de me ter nas suas fileiras, claro)? Defesa! O lugar que menos incomoda o resto da malta, claro! Acho que isto diz tudo...

Mas agora, com quarenta anos, pensei em mudar o meu estilo de vida sedentário, e tomei uma atitude. Vamos ver como é que isto corre...

P.S. - a possibilidade de ausência de posts neste blog se dever a um AVC do autor é grande.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O abraço

por FS, em 08.09.15

Já ouvi dizer que é possível amor sem toque. Ouvi dizer e acredito que para alguns seja possível. Para mim, não.

Não sei se é por ser obsessivo ou se é causa da minha introversão, mas continua a ser a melhor forma de mostrar o meu afecto, o meu amor. Por ser obsessivo, muitas vezes tenho vontade de "esmagar" de amor, de carinho. Vontade de materializar o que sinto, abraçando, apertando, beijando. Vontade de entregar a minha pele, já que o coração já lá está. E está vontade aplica-se a todos os que amo: filhos, país, irmãos, namorada. São apertos e abraços diferentes, mas são todos o "eu" que ama.

E como sou introvertido, e tenho um problema de expressão, o abraço não deixa dúvidas. É o que é. É o meu amor no seu estado mais puro. O meu abraço, e a intensidade com que te aperto, são do tamanho do meu amor. Mostra a saudade que tenho. Mostra a falta que me fazes. Mostra o quanto te admiro como pessoa. Mostra o quanto me fazes feliz. Mostra o quanto gosto de gostar de ti...

Por isso, a próxima vez que te abraçar, abraça-me de volta...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Zorro

por FS, em 06.09.15

Só não era o Benfica, Princesa...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Impulse

por FS, em 05.09.15

Quando passamos de forma inesperada e não programada meia hora nos braços da pessoa amada, a sentir o calor dos seus beijos, o cheiro da sua pele, como se o relógio tivesse parado e não existe mais vida lá fora, reconfortado, com o coração cheio e a mesma ansiedade e desejo que envolveram oprimeiro beijo... isso é vida!

(PS. - é uma gaita é quando te apercebes que o relógio não parou e tens de ir buscar os miúdos à escola antes que ela feche! Mas não deixa de saber a céu!!!)

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D