Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A dica da semana #n

por FS, em 14.06.16

image.jpeg

Autoria e outros dados (tags, etc)

Que é como quem diz...

por FS, em 06.06.16

...you on my mind!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Da tauromaquia e outras faenas...

por FS, em 02.06.16

image.jpeg

O tema voltou ao debate pela voz do PAN, BE e PCP, e continua a incendiar as facções extremistas. Eu, que faço parte da "maioria silenciosa", quebro o dito silêncio.

Hoje em dia acredito que os netos dos nossos netos serão todos vegetarianos, e que a proteína semelhante à animal que irão ingerir será sintetizada... Mas ainda não é assim, e entendo e aceito a criação de animais para a nossa alimentação (e o aproveitamento dos subprodutos, como as peles para vestuário e calçado, quando esse não é o objectivo primário da criação animal, como é o caso das chinchilas e as raposas que são criadas com o exclusivo intuito de se aproveitar a pelr). No entanto, e mesmo sendo um rude e simplório homem da província e da lavoura, espectáculos com sofrimento animal, para mim não dá: é desumano.

E não me venham com o argumento que é cultura... Sim, é, mas até a cultura às vezes está errada... Não?! A cultura romana também tinha como espectáculo luta de gladiadores até à morte e pessoas devotadas por leões... Era cultura, mas, pelo menos para mim, incomoda-me a ideia.

Não gostaram do exemplo? Está desactualizado, é verdade... Dou outro mais actual, então. Por exemplo, a excisão feminina também faz parte da cultura de alguns povos... E eu concordo com isso? Não, definitivamente não! Por isso, às vezes a cultura está errada... Até pode nem ser errada, pode apenas está fora do seu tempo.

Indo às origens da festa brava, está uma mostra de valentia e virilidade, e o treino militar, seja ele apeado ou a cavalo. Convenhamos que a cavalaria hoje é mecanizada, não se usam lanças nem espadas, mas peças de artilharia de diferente calibre. Em relação aos infantes (os soldados de infantaria), hoje em dia já não usam espadas, e o combate corpo a corpo pode ser treinado de outra maneira... Ou sejs, o intuito primordial da Tourada desapareceu! E quanto à prova de valentia, façam queda-livre, cannyoning, etc...

E em relação ao aspecto cultural, acho que estamos falados, não?

Depois, temos o argumento do (supostamente) inexistente sofrimento do animal. Sofre, sim. O animal sofre com'ó diabo... Por alguma razão ele sai dos cursos com aquela gana de "saiam-me da frente!"... Acreditem que não é por estar tranquilo. Logo aí, está em sofrimento. Tiram-no da lezíria, onde é livre, e espetam-no num redondel, apertado, onde estão gajos de leggings cor-de-rosa e pom-pons na cabeça à espera dele... Até eu sofria!

Mas o sofrimento não é só stress... É que entretanto entra um fulano a espetar-lhe pontas de ferro no dorso. E por mais espesso que seja o couro do animal (e é), aquilo dói. A reacção do touro a cada bandarilha não é só por causa de comichão ou da impressão que faz ter uma coisa ao dependuro do dorso.

Por isso, o argumento da ausência de sofrimento é ridículo. Há sofrimento, e não é pouco. Mas pior do que haver sofrimento per si (que já é de nos deixar pensativos), é haver sofrimento para deleite e gáudio de uma determinada quantidade de pessoas. Uns sofrem e os outros aplaudem? Hmmmm... Pode ser impressão minha, mas há algo de errado nesta equação...

E só para terminar, há o argumento da subsistência da raça bovina brava... Que, não fosse a "festa brava", esta raça especifica deixaria de ser criada e desapareceria, porque é péssima para a produção de carne ou de leite. Ouçam, apenas nalguns sítios os burros são ainda usados para trabalho e não é por causa disso que os asininos desapareceram, pois não?

E a hipótese de ver a bravura e a nobreza do touro durante a lide? Meus amigos, vão à lezíria vê-los! Não é preciso andar a atormentar o bicho, porra!

No fundo, o que faz persistir a tourada é o facto de ser um negócio para alguns, um evento social para outros e ainda uma forma de afirmação de classe e grupo social, e tudo a expensas do raio do bicho... Mas em pleno século XXI temos alternativas sem provocar sofrimento desnecessário...

Por isso, deixem o raio do touro em paz, por favor...

Mas atenção, os circos com animais, nomeadamente selvagens, não são muito melhores...

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D